Aulas de Canto e Voz

Aulas de Canto e Voz com a Professora Marta Brandão, o início em setembro de 2014 mas sem final à vista, no Porto.

Sinto-me como se dentro de mim houvesse uma pequena semente, daquelas que esperam anos até que a chuva chegue e as deixe germinar e crescer. Sair do grau zero do canto, compreender como se faz, exercitar esta capacidade que não supunha que existisse, em cada semana ganhar mais um pouco de espaço seguro e confortável e transformar este sonho antigo numa realidade audível faz de mim uma pessoa melhor.

Agora, com o quase nada que aprendi, estou tão entusiasmada que procedo como as crianças que ao começar o longo e difícil caminho da escrita, ainda escrevendo apenas pai, pipa ou pato se julgam em condições de escrever estórias e cartas e se lançam nessas tarefas com uma vontade, uma determinação que só os outros podem destruir. Desculpem os que me ouvem surpreendidos com tanta ousadia. Bem-hajam todos os que me encaminham e amparam.

A primeira experiência de cantar em público ( depois de uma tentativa anterior bastante fraca…) está feita! Na apresentação dos Contos de Amor na Eira, nas Galerias Paris, cantei Beijinhos de Amor uma moda do Algarve que descobri num cancioneiro popular da região.

10443541_10152676346867584_3256331849849933048_n

A letra é muito engraçada e simples ” Beijinhos de amor/ não matam ninguém/ dizem os doutores/ qu’ até fazem bem!…”. Como a Virgínia Millefiori contou uma lenda de mouras encantadas de Faro, calhou mesmo bem!

Nas escolas também tenho cantado uma cantiga que faz parte de “A pulseirinha de oiro”. A música foi criada por mim mas tenho agora consciência que, não estando escrita, nunca a canto igual. Vai acompanhando o estado de espírito do momento, o que revela a fragilidade do meu conhecimento mas sei que comecei há pouco… Outro dia, numa escola uma menina pediu-me “Ó Maria Rouco, canta só mais um bocadinho!” e o meu corpo vibrou de alegria, só consegui sorrir, agradecida.

O Canto em grupo coral foi aconselhado como um meio de disciplinar a voz e treinar a escuta dos outros. Assim, pude ampliar a minha experiência ao participar no Coro da Qualificar para Incluir, um grupo muito variado de cantores, sendo eu a mais inexperiente.  A nossa maestrina Fátima Fonte fez-nos trabalhar arduamente, em preparação física, vocal e união do grupo para levarmos a bom porto uma única apresentação, no dia 8 de julho. O repertório bastante ambicioso incluía Gaiteiros de Lisboa, Beatles e Fauré, ainda hoje me parece um sonho como conseguimos encantar uma plateia numerosa de congressistas reunidos no Instituto  do Serviço Social do Porto!! Senti que me percorria uma energia partilhada, um sentimento estimulante e fraterno que nunca irei esquecer.

Em julho de 2015, algumas condições alteraram-se e a Marta viajou para novos projetos, outros caminhos onde vai, com certeza, melhorar o nosso mundo. Bem-hajas Amiga!