Primeiro mergulho…

  Vou Contar!  vou-contar_web

 

Nascente – Cooperativa de Ação Cultural

Esta oficina vai desenvolver-se na sede da Nascente, a partir de 7 de abril até 1 de julho, às quintas-feiras, das 17.30 às 19 horas, para adultos interessados mas inexperientes no tema. As inscrições podem ser feitas na Nascente, rua 62, 251, Espinho.

Destina-se a todas as pessoas que querem dar o seu primeiro mergulho na narração oral, desenvolvendo competências performativas que tornem mais agradável contar estórias e partilhando alguns conhecimentos de modo a permitir que cada participante possa prosseguir o seu caminho de narrador. Há sete inscritos e vamos começar.

Afinal, só acabámos a 7 de julho, com a apresentação de cada um a estrear-se com o seu conto.

Os sete narradores chegaram ao fim, com 24 horas de formação e cheios de vontade de aprender mais. Como quem dá o primeiro mergulho e acha a água boa, límpida e quer continuar, sabemos que há ainda muito para fazer! Nesta oficina, enquanto formadora, tive a preocupação de dar a conhecer outros contadores experientes e convidar especialistas em diversas áreas que fornecessem conhecimentos consistentes e fundamentados, alargando horizontes.

José de Eça, tenor – Usos da voz

Doutor Mário Gandra, professor – A criatividade e as imagens mentais

Dra Florência Santos, psicóloga – Propriedades transformativas dos contos e da narração

Igor Gandra, actor – animação e manipulação de objetos

e ainda as amigas contadoras Augusta Santos, Virgínia Millefiori e Cândida da Luz.

A estrutura da oficina foi pensada para ter momentos variados, permitir a partilha e o trabalho colaborativo, esbatendo a divisão entre “quem sabe” e “quem aprende” pois é muito claro que todos sabemos bastante de ouvir e contar e pôr isso em comum enriquece a nossa narrativa.

No dia 7 de julho, foi isto que contaram

Lurdes  – O herdeiro do imperador

Mira – A rosa e o rouxinol

Cristina  – O velho e os três desejos

Laurinda  – O soldado João

Floripes – O peixinho que descobriu o mar

Lina – Rosa, cravo e jasmim

Helder – Os dois mentirosos

Fiquei um pouco comovida, sempre eram os “meus meninos…”!!